Select Page

Cinco exercícios para a memória

Cinco exercícios para a memória

A vida cotidiana pode levar nossas habilidades mentais ao limite, seja para resgatar uma senha da memória ou para lembra-se de onde guardou as chaves. Os exercícios para a memória ajudam-nos a encarar esses desafios sem medo, através de estratégias que lubrificam a maquinaria dessa faculdade vital da condição humana.

Leia Mais
Aqui é o “Nosso Lar”

Aqui é o “Nosso Lar”

Assisti há alguns anos o filme ‘Nosso Lar’, baseado no livro espírita de Chico Xavier, que conta a história do espírito André Luiz. Saí meio escondida, antes das luzes se acenderem, um pouco envergonhada da minha cara inchada de tanto chorar. Pensei que fosse me afogar, tantas lágrimas pululavam dos meu olhos sem controle algum. Sentimentos profundos e intensos me perpassaram durante os 80 minutos da película.

Leia Mais
Diabetes e a sexualidade

Diabetes e a sexualidade

Quando o tema é sexo, muitas pessoas com diabetes, principalmente os jovens, ficam cheios de preocupação e medo de serem rejeitados pelo parceiro. Afinal, existe um preconceito de que diabetes pode causar impotência sexual. Como lidar com isso?

Leia Mais
Jonas e a Baleia: mito da imortalidade

Jonas e a Baleia: mito da imortalidade

A vida costuma nos mandar avisos: às vezes um leve roçar na pele, outras vezes um tapa mais consistente e de outras ainda, nos derruba no chão com um soco ou nos dá uma rasteira. Tenho muito medo de não estar atenta a esses avisos, porque, geralmente, eles vão ficando mais fortes à medida em que não nos conscientizamos daquilo que precisa ser transformado e revisto. Tenho acompanhado pessoas passando por situações traumáticas e limite, muitas delas próximas da morte física, sem que qualquer consideração ou conscientização seja feita. Não há perguntas e, portanto, não há respostas. Se volta àquela vidinha que se levava antes, sem qualquer modificação.

Leia Mais
Dormindo com a mamãe !

Dormindo com a mamãe !

Quando tinha uns dois anos, numa madrugada fria, meu filho, Davi, me chamou: “Mamaê!”. Fui até o quarto e ele estava em pé no berço: “Cóio!”. Peguei ele pelos braços e forcei delicadamente que se deitasse de novo. “Filho, você dorme no bercinho e mamãe na cama. Durma meu filho”. Ele levantou de novo e disse: “Mamaê, cóio!”.

Leia Mais