Sabe as vezes me pego pensando, puxa passei do sessenta (60) anos é 60 anos. Nunca imaginei chegar aqui! No entanto sou eu, euzinho e aí me vem a lembrança de quando aqui estive pela primeira vez. Se passaram mais de 50 anos, a fala característica dos carioca, foi a muito esquecida.

Entrei em São Paulo pela primeira vez por Mogi das Cruzes, cheguei de trem, viagem longa, cansativa, acredito que levávamos mais de dez horas de viagem, classe econômica, porém o trem. Que coisa espetacular e as estações tanto a de saída quanto a de chegada, um charme só. Início dos anos sessenta (60), vim a passeio, visitar uma tia querida que anos antes havia se mudado para cá. São Paulo, era a terra da garoa, imaginem um carioquinha baixola e gordinho de short quadriculado e camisa de manga, que frio terrível.
Para terem uma ideia, lembra aqueles filmes em Londres, onde o cidadão desce do trem na estação e a neblina o envolve.
Passaram-se muitos anos ou poucos anos, afinal ainda sou jovem, faço parte da geração que ouviu Beatles, assistiu ao Patrulheiro Rodoviário, curtiu a Jovem Guarda e os Festivais da Canção da extinta TV Record em fim, tudo isso para contar-lhes do amor a SAMPA. Tudo o que sou e construí devo a esta magnífica cidade, tenho um imenso orgulho de viver em São Paulo, aqui trabalhei, constitui família, eduquei meus dois filhos Camila e Fernando Luchiari, mas tem o Silva em ambos depois desse sobrenome italiano kkkk, homenagem a avó materna Dona Ida. E agora experimentando e pondo a prova a minha capacidade de criar e desenvolver, aprendo a montar um projeto e a desenvolver e praticar novas ideias.
VIVA SAMPA, VIVA A OPORTUNIDADE, VIVA A EXPERIÊNCIA E A VONTADE, DETERMINAÇÃO E APLICAÇÃO. EU POSSO, VOCÊ TAMBÉM PODE!!!!!
Roberci Fonseca da Silva