Select Page

As armadilhas do cérebro para as finanças pessoais

As armadilhas do cérebro para as finanças pessoais

Para conseguir economizar, é necessário dominar os impulsos do cérebro. Uma solução prazerosa para este desafio é a prática da ginástica cerebral

Você já tentou controlar suas finanças, mas não deu muito certo? Então pare um minuto para pensar em um detalhe: seu cérebro pode estar boicotando seus planos.

Especialistas dizem que muitas de nossas decisões de compra, por exemplo, não são apenas racionais e que treinar o cérebro pode ajudar a controlar seus impulsos.

Existe uma grande diferença entre desejar um sapato, uma roupa ou um telefone celular, e precisar realmente deles. A maioria das pessoas confunde a diferença entre desejo e necessidade, principalmente em épocas de liquidações.

“O cérebro tem três regiões que comandam nossas decisões de consumo: a social/reptiliana, a afetiva/límbica e a cognitiva/neocortical. Conhecê-las e exercitá-las pode ajudá-lo a controlar sua conta bancária”, explica a Dra. Carla Tieppo, neurocientista e consultora do Método SUPERA de ginástica para o cérebro.

A área responsável pelo impulso é a reptiliana, localizada no centro do cérebro. Mas quando uma pessoa compra algo para compensar uma frustração, por exemplo, a área que entra em atividade é a do sistema límbico, que comanda as emoções e está localizada na superfície medial do cérebro.

A terceira região é a mais usada pelos consumidores cometidos, aqueles que em geral possuem a vida financeira mais equilibrada. Esta área, que fica no córtex pré-frontal, é a parte lógica e estrategista, onde nascem os impulsos da reflexão. Quando esta área está em ação, a pessoa pensa antes de agir.

Aprender a controlar as finanças exige muito esforço e dedicação, além de um planejamento mensal para conseguir enxergar o impacto que esses impulsos causam no orçamento.

“Esse é mais um motivo para praticar ginástica cerebral. As aulas estimulam conexões neurais, desenvolvendo habilidades como concentração, memória e raciocínio lógico, que farão toda diferença na hora de decidir entre comprar ou não”, comenta Antônio Carlos Guarini, presidente fundador do SUPERA.

Quando aprendemos a controlar nossos impulsos primitivos, é possível equilibrar os desejos e analisar corretamente as consequências de nossas decisões. Treinar o cérebro ajuda a ter uma controle maior sobre suas emoções e ações, ajuda a raciocinar melhor e até a ser mais criativo. Mas o que a criatividade tem a ver com economia? Se você precisa de um móvel em casa, por exemplo, talvez possa pensar fora da caixa para transformar um berço antigo e uma prateleira; caixotes de madeira em uma estante de livros, e por aí vai.

 

Isabella Rabelo / isabella.comunicacao@metodosupera.com.br
(12) 3341-9929 / (12) 99608-7204 / (12) 98866-1732

 

 

 


Also published on Medium.

Sobre o Autor

Total Idade

A Total Idade possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos, compartilhados e disponibilizados para todos os interessados em adquirir conhecimento sobre a maturidade. A Total Idade leva ao leitor informações de alto nível, recebidas, compartilhadas e publicadas por colaboradores externos e internos.

Deixe a resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.