Select Page

Dieta Barriga de Trigo: Como Funciona, Cardápio e Dicas

Dieta Barriga de Trigo: Como Funciona, Cardápio e Dicas

Se você foi uma pessoa antenada na boa forma durante os últimos anos, provavelmente já deve ter ouvido falar das dietas sem glúten, que prometem secar o corpo rapidamente. O glúten está presente no trigo, cevada, aveia e centeio.

Um best-seller desde seu lançamento, o livro “Barriga de Trigo”, do cardiologista americano William Davis, propõe a abolição total do trigo do cardápio, além de cortar também diversos outros alimentos da dieta, sobretudo os carboidratos.

Ainda motivo de debate entre especialistas, a dieta da Barriga de Trigo (Wheat Belly Diet), vem sendo amplamente divulgada na mídia e recebeu até a alcunha de “Dieta do Dr. Atkins sem o bacon”- isso porque também desestimula o consumo de carboidratos e gorduras “ruins”, sugerindo um aumento no consumo de proteínas e gorduras “do bem”.

E como funciona a dieta da barriga de trigo? É só cortar o trigo do meu cardápio e pronto, perderei todos aqueles quilos indesejados? Qual é o cardápio?

Vamos responder todas suas dúvidas já! Siga abaixo.

Por que o glúten se tornou um vilão das dietas?

Primeiramente, vamos começar explicando o que é o glúten e quais seus efeitos no organismo.

O glúten é uma proteína que pode ser encontrada no trigo e que dá ao pão aquela característica de leveza e maciez (pense em um pão fofinho). Duas proteínas se juntam para formar o glúten: a gliadina e a glutenina.

O problema, segundo William Davis, é que o nosso organismo não consegue absorver o glúten, o que pode levar a uma série de complicações, entre elas distensão abdominal, gases e uma sensação de desconforto. E exatamente por não ser absorvido, o glúten pode causar a inflamação da parede do intestino, pois o nosso corpo vê o glúten como um invasor e passa a atacá-lo, resultando no processo inflamatório. Ao longo do tempo, essa inflamação impedirá a absorção de certos nutrientes pela parede intestinal, o que pode levar a uma deficiência nutricional.

E para quem quer emagrecer, a inflamação é uma grande inimiga, pois afeta o sistema hormonal (mexendo com o controle do apetite) e pode promover a retenção de líquidos.

Outra teoria recente afirma que a gliadina presente no trigo de hoje é responsável por um aumento no apetite. Ela atuaria no cérebro de maneira a aumentar a sensação de fome, estimulando um consumo maior de calorias (o autor do livro “Barriga de Trigo” fala em 440 calorias a mais por dia!).

Meus antepassados comiam trigo e não tinham problemas…

O trigo é um dos cereais mais antigos e mais utilizados pela nossa civilização. Resíduos de trigo foram encontrados em tumbas do Período Neolítico, datando de 5 a 6 mil anos A.C. Os egípcios já faziam uso do trigo há 3 mil anos, e ele pode ser considerado se não o mais, um dos mais antigos cereais cultivados pelo homem.

O problema é que o trigo que utilizamos hoje em dia não lembra em nada o trigo que nossos ancestrais usavam. A variedade mais cultivada no mundo hoje é a de trigo anão, que foi modificada por pesquisadores nos anos 60 (para aumentar a produtividade).

Essas alterações fizeram com que o trigo que encontramos hoje no supermercado contenha muito mais glúten que o trigo original (cientistas falam em 10 vezes mais glúten). E, além disso, de ingrediente complementar, o trigo passou a ser um dos principais alimentos da nossa dieta ocidental moderna.

E quais os benefícios de eliminar o trigo da minha dieta?

Segundo o livro Barriga de Trigo, literalmente dezenas de problemas de saúde podem ser evitados retirando o trigo da alimentação. Na verdade, o autor do livro fala até em melhora de algumas doenças após a retirada do glúten da dieta.

Entre os maiores benefícios da dieta da Barriga de Trigo, estão:

  • Perda de Peso
  • Prevenção e controle do Diabetes
  • Melhora no humor e maior capacidade de concentração
  • Aumento dos níveis de energia
  • Sono mais profundo
  • Diminuição de dores nas articulações
  • Melhora no funcionamento intestinal
  • Desaparecimento de refluxo ácido
  • Diminuição na retenção de líquidos

Outros benefícios incluiriam a prevenção do câncer de intestino, Mal de Alzheimer, Esquizofrenia, asma- e até mesmo autismo. Embora o glúten seja atualmente o tema de muitas pesquisas, ainda não é possível comprovar cientificamente alguns dos benefícios acima.

Entre os efeitos colaterais dessa dieta, podemos citar a baixa presença de carboidratos, o que pode levar a sintomas de fraqueza, dores de cabeça e constipação intestinal. Há também riscos de deficiência nutricional, pois uma série de alimentos é eliminada ou então estão em quantidades restritas na dieta da barriga de trigo (frutas, legumes que contém amido, cereais como o arroz).

Devido à restrição de diversos alimentos, muitos nutrientes podem ficar ausentes da sua alimentação. É fundamental nessa situação falar com seu médico para certificar-se de que está ingerindo todos os nutrientes necessários, ou até mesmo fazer uma suplementação.

Qual é o cardápio da Dieta da Barriga de Trigo?

O que você pode comer, de acordo com o as recomendações da dieta da barriga de trigo:

À Vontade:

  • Legumes (menos batata, inhame e outros que sejam ricos em amido) e verduras;
  • Queijos curados, com teor normal de gordura (não vale queijo light nem queijos processados);
  • Linhaça triturada;
  • Algumas Frutas (morango, amora, framboesa, mirtilo, maçã, laranja). Evitar frutas muito doces, como: mamão, banana, abacaxi e manga);
  • Castanhas cruas;
  • Gorduras “do bem”: azeite, óleo de coco, óleo de abacate;
  • Carne e ovos;
  • Temperos naturais (salsa, cebolinha, etc).

Em quantidades bem menores:

  • Arroz (branco ou integral)- não mais que ½ xícara por dia
  • Queijo cottage
  • Iogurte, Leite e Manteiga
  • Tofu e Missô
  • Chocolate 70 a 85% de cacau
  • Azeitonas, picles, sementes cruas e abacate

Eliminar:

  • Trigo e seus derivados (pães, massas, bolos, etc)
  • Aveia
  • Amido de milho e fécula de batata
  • Mel, melado e afins
  • Refrigerantes
  • Doces
  • Frituras
  • Cerveja
  • Proteína de soja
  • Barras de cereal
  • Suco de fruta
  • Embutidos (salsicha, mortadela, bacon, etc)

No entanto, é fácil perceber que não dá para emagrecer comendo castanhas, queijo e carne à vontade. Como não há uma quantidade exata de cada um dos alimentos, nesta dieta é fundamental o bom senso – e o controle das porções. Por exemplo – a castanha pode substituir a barrinha de cereal como lanche da tarde, mas não é para comer 20 castanhas…

Dicas

Entre as dicas do Dr. Davis no livro Barriga de Trigo está a de consumir uma colher de azeite (ou alguma das outras “gorduras saudáveis”) em cada uma das refeições até que seu organismo se acostume com os efeitos da abstinência do trigo.

Outra dica é eliminar 50% do trigo na primeira semana, e tentar cortá-lo totalmente da dieta após esses primeiros sete dias.

Alimentos “gluten free” (sem glúten) também estão na lista negra do cardiologista, pois, segundo ele, muitas vezes simplesmente trocam o trigo por outros de baixo valor nutritivo (acrescentam açúcar e gorduras, por exemplo, para realçar o sabor).

Contras da Dieta da Barriga de Trigo

Uma das críticas a essa dieta é exatamente a dificuldade de se manter uma alimentação tão restrita em um mundo tão dominado pelo trigo. Outro contra seriam as reações que cada organismo pode apresentar diante de uma diminuição tão brusca nas quantidades de carboidratos (o livro sugere ingerir até 50 gramas de carboidratos por dia).

Como a dieta é baseada principalmente em proteínas e gorduras, aliados a um consumo restrito de vegetais, a quantidade de fibras na alimentação fica prejudicada – o que pode levar à prisão de ventre.

Nos primeiros dias da dieta da barriga de trigo, podem surgir os seguintes sintomas: mau hálito, dores de cabeça e até mau humor, como uma reação do organismo à retirada dos carboidratos. É provável que estes sintomas amenizem-se à medida que o corpo se adaptar à dieta (que deve ser feita com acompanhamento médico).

Considerações finais

Como em qualquer dieta, a maior dificuldade da dieta da Barriga de Trigo está em incorporá-la em seu dia-a-dia de modo permanente, adotando seus benefícios como verdadeiros hábitos. Neste caso, como já dissemos, é muito difícil viver para sempre sem glúten (a não ser no caso dos indivíduos portadores da doença celíaca, o que é outra história) em um mundo rodeado pelo trigo.

É a granola do café da manhã, a massa do almoço, o pão integral do lanche da tarde, a pizza do jantar… Uma das sugestões é, se não quiser cortar totalmente o trigo (glúten) da sua dieta, ao menos diminuí-lo, fazendo trocas (a massa pelo arroz integral, a pizza de trigo por uma pizza com massa de couve-flor, por exemplo) e ir notando aos poucos como seu organismo reage.

Se o seu objetivo for emagrecer rapidamente, a Dieta da Barriga de Trigo pode lhe ajudar, desde que seja feita sob acompanhamento médico e seguindo o cardápio de maneira adequada ( o “à vontade” não é exatamente um passe livre para você comer queijo e castanhas o dia todo).

Mundo Boa Forma

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite – (no G+)

Referências adicionais: 

Sobre o Autor

Total Idade

A Total Idade possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos, compartilhados e disponibilizados para todos os interessados em adquirir conhecimento sobre a maturidade. A Total Idade leva ao leitor informações de alto nível, recebidas, compartilhadas e publicadas por colaboradores externos e internos.

1 Comentário

  1. Olá! Primeiramente ótimo artigo, também venho estudando sobre jejum intermitente, esse tipo de jejum, na verdade, é a melhor maneira ou alternativa tanto para quem quer emagrecer e ficar em forma e vem crescendo em adeptos e sugiro o tema ao seu blog. Sucesso sempre!

    Responder

Deixe a resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.