Select Page

Maneiras maravilhosas de viver até os cem anos – Parte 3 (Última)

Maneiras maravilhosas de viver até os cem anos – Parte 3 (Última)

anterior…

61. Sorria.

Não é só otimismo que te faz viver mais. O tamanho do seu sorriso também faz diferença. Em um estudo de 2010, pesquisadores examinaram a intensidade do sorriso de uma série de jogadores de beisebol em fotos da década de 1950. Dos jogadores que morreram entre 2006 e 2009, aqueles que não estavam sorrindo nas fotos viveram em média 72,9 anos. Os mais sorridentes, por sua vez, viveram em média 79,9 anos.

62. Vá para a academia.

Isso vai te convencer da necessidade de se exercitar: seguir (ou superar) as recomendações da Organização Mundial de Saúde de 150 minutos semanais de exercícios moderados pode acrescentar quatro anos à sua vida, em comparação com uma vida totalmente sedentária, relata a US News. Até mesmo fazer a metade da quantia recomendada pode render dois anos a mais de vida.

63. Pegue leve nas carnes processadas.

Obviamente a nutrição tem papel fundamental na longevidade, mas não se trata só do que comer – o que não comer também é importante. Além de incluir ômega-3 e alimentos ricos em antioxidantes na dieta, vale a pena cortar as carnes processadas. Um estudo de 2013 mostrou uma ligação entre dietas com muitas carnes processadas – como linguiças e bacon – e um risco maior de morte por câncer e doenças cardíacas.

64. Evite os esportes violentos.
A ciência vem demonstrando os verdadeiros perigos do futebol americano. Uma pesquisa realizada em 2012 mostrou que jogadores profissionais de futebol americano têm quatro vezes mais propensão a morrer de mal de Alzheimer ou esclerose lateral amiotrófica.

65. Coma um pouco mais (mas só um pouco!)

Uma pesquisa desafia o senso comum: pessoas acima do peso têm menos chances de morrer de qualquer causa, em comparação com pessoas de peso normal, magras ou obesas. Os pesquisadores concluíram que um índice de massa corporal (IMC) entre 25 e 29,9, medida que engloba cerca de 30% da população dos Estados Unidos, está associado a uma vida mais longa.

66. Vá de escada.

take the stairs

Faça um favor a si mesmo e vá de escada em vez de tomar o elevador. Pesquisadores da Universidade de Genebra calcularam que, entre as pessoas com vida sedentária, usar a escada queima gordura e baixa a pressão arterial o suficiente para reduzir em 15% o risco de morte prematura.

67. Ganhe um Prêmio Nobel.

Como atletas olímpicos e ganhadores do Oscar, homens e mulheres agraciados com o Nobel tendem a viver mais que nós mortais (além de saber muito mais, claro). Essa é a conclusão de um estudo da Universidade Cornell. Os ganhadores do prêmio têm até mesmo vantagem sobre os finalistas do Nobel: vivem em média um ou dois anos a mais. Uma teoria pode ser que os vencedores do Nobel contam com posições sociais de mais destaque. Quanto maior essa posição, menor o estresse, sugere a teoria – e isso significa uma vantagem importante quando se trata de longevidade.

68. Reduza sua frequência cardíaca de repouso. 

Um coração acelerado por ser sinal de que você pode morrer mais cedo, segundo um estudo da revista Heart. Pesquisadores dinamarqueses descobriram que a frequência cardíaca de repouso é um preditivo chave de vida longa para homens saudáveis de meia idade e idosos – a despeito do nível de atividade física ou de outros comportamentos em relação à saúde.

69. Acerte a loteria da genética.

Você pode fazer tudo certo quando se trata da sua saúde futura, mas cerca de um terço dos fatores relacionados à longevidades são genéticos, relata o The New York Times. As mães, particularmente, têm papel importante na transmissão das mutações genéticas ligadas ao processo de envelhecimento, segundo um estudo conduzido pelo Instituto Karolinska.

70. Acredite na sua saúde.

Pesquisadores com frequência pedem que pacientes idosos avaliem sua própria saúde. Aqueles que dizem se sentir mal correm maior risco de morrer que aqueles que avaliam sua saúde como “excelente”, “boa” ou “razoável”. Apesar de muitas das más avaliações terem a ver com problemas de saúde reais, certamente não faz mal manter o pensamento positivo.

71. Não tenha pressa de entrar na primeira série.

kids go to school

É comum que pais queiram que seus filhos entrem na escola o mais cedo possível. Mas, de acordo com um estudo de 2008, começar a primeira série antes dos seis anos está associado a mortalidade prematura.

72. Pense… na morte.

Parece pouco intuitivo, mas contemplar a mortalidade pode ajudar a levar uma vida mais longa. Segundo pesquisa publicada na revista Personality and Social Psychology Review, estar ciente da inevitabilidade da morte ajuda a termos compaixão pelos outros. Além disso, estudos indicam que, quando somos lembrados da morte, é mais provável que tomemos melhores decisões a respeito de nossa saúde, como usar protetor solar, fumar menos e fazer mais exercícios.

73. Desligue a TV. 

Eis um factoide assustador: depois dos 25 anos, cada hora que você passa assistindo TV significa 22 minutos a menos de vida, segundo uma pesquisa da Universidade de Queensland, na Austrália. As pessoas que passam seis horas ou mais diante da TV morrem quase cinco anos antes do que pessoas que não assistem TV.

74. Mas não se desligue do mundo.

Muita TV não faz bem (veja acima), mas consumir mídias de massa – TV, rádio, jornais, internet – em busca de informações é outra coisa. Pesquisadores observaram os hábitos de consumo de informação de mais de 1 100 adultos italianos e descobriram que as pessoas com maior exposição à mídia também tinham a alimentação mais saudável (atenção: reprises de “Friends” não contam). E sabemos muito bem que somos o que comemos.

75. Corte o açúcar.

Não consegue viver sem um docinho? Cynthia Kenyon, geneticista da Universidade da Califórnia, em São Francisco, decidiu abrir mão dos doces depois de descobrir que uma dieta com açúcar diminui a vida média de nematelmintos em 20%. É claro que o estudo não é tão definitivo quanto um realizado com humanos. Mas, se uma pesquisadora da longevidade faz uma mudança dramática para melhorar a própria saúde, melhor prestar atenção!

76. Escolha seu emprego com cuidado.

Se você quer ter uma vida longa e pode escolher, talvez seja melhor evitar essas carreiras – são as mais mortais dos Estados Unidos. Segundo o Escritório de Estatísticas do Trabalho do país, 4 383 pessoas morreram no trabalho só em 2012, segundo relata a revista Forbes.

77. Siga a dieta andina.

O agricultor boliviano Carmelo Flores ganhou as manchetes quando atribuiu seus 123 anos a uma dieta tradicional dos Andes. Ele consome superalimentos como quinoa, cogumelos e coca . Mas, segundo o blogueiro do HuffPost e nutricionista Andy Bellatti, não são as comidas sozinhas que contribuem para a longevidade de Flores, e sim a ausência de alimentos modernos e processados. “A ideia de que simplesmente ingerir [uma supercomida] é a chave para ser saudável é tolice, se o restante da dieta é composto basicamente de comidas superprocessadas e refinadas”, escreveu Bellatti em seu blog.

78. Mude para o Havaí.

aloha state

Além de ser o mais feliz e menos estressado dos Estados americanos, o Havaí também tem registra a maior longevidade do país. Uma pessoa de 65 anos no Havaí vai viver outros 16,2 anos, na média, comparados com outros 10,6 anos no Mississippi, Estado com a menor expectativa de vida, segundo dados dos Centros de Controle de Doenças e Prevenção.

79. Ou então para uma das Dakotas. 

O Havaí pode ter a maior expectativa de vida entre as pessoas com 65 anos ou mais, mas a Dakota do Norte tem o maior índice per capita de centenários, seguida de perto (adivinhe) pela Dakota do Sul. A relação entre localidade e longevidade provavelmente tem a ver com uma confluência de fatores socioeconômicos, relata a U.S. News and World Report, apesar de ninguém saber ao certo por que as Dakotas têm tantos habitantes longevos.

80. Se estiver mal de saúde, mantenha uma cabeça positiva.

Veja as coisas pelo lado positivo! Estudo recente publicado na revista Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes mostrou que pacientes com problemas cardíacos que mantêm uma atitude positiva têm maior propensão a se exercitar e a viver mais que seus pares menos positivos. Os resultados sugerem que “deveríamos nos concentrar em aumentar os pensamentos positivos não só nos pacientes em reabilitação cardíaca, mas também garantir que os pacientes se exercitem regularmente, pois a atividade física é associada a mais otimismo e melhor saúde”, disse em um comunicado a pesquisadora Susanne Pedersen, professora de psicologia cardíaca da Universidade Tilburg.

81. Coma menos.

As mulheres de Okinawa, no Japão, têm a vida mais livre de problemas graves de saúde de todos os habitantes do planeta – e o resto do mundo há tempos quer saber qual é o segredo. Um deles é o hábito dos moradores da ilha de começar as refeições com a frase “Hara hachi bu”, que significa “coma até estar 80% satisfeito”, disse à New American Media Dan Buettner, autor de The Blue Zones (as zonas azuis, em tradução livre), um livro sobre longevidade. Restringir calorias e nunca comer demais é uma das razões pelas quais a população de Okinawa conta com tantos centenários, explica Buettner.

82. Caiu? Levante-se.

raining

A resiliência psicológica – ou seja, a capacidade de lidar com os desafios da vida em vez de ser derrubado por eles – é associada a um aumento do bem estar e da longevidade. “Pesquisas sobre a psicologia do envelhecimento mostram que adultos psicologicamente resilientes lidam bem com um corpo que envelhece”, diz Al Siebert, autor de The Resilience Advantage (a vantagem da resiliência, em tradução livre). “Quando perdem pessoas queridas, eles expressam seus sentimentos de maneira aberta e saudável.”

83. Faça um mamograma.

As mulheres correm risco maior de morte se o câncer não for detectado cedo: um estudo da Universidade de Washington indica que mulheres diagnosticadas com câncer de mama aos 40 e que morreram por causa da doença tinham maior probabilidade de nunca ter se submetido a um mamograma, em comparação com mulheres mais velhas.

84. Tenha uma infância feliz.

get up when you fall

Passar por experiências traumáticas na infância pode aumentar a probabilidade de uma morte prematura, segundo um estudo do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisas Médicas, da França, e do University College, de Londres. Mulheres que passaram por experiências traumáticas antes dos 16 anos tinham chances 66% maiores de morrer antes dos 50.

85. Invista na espiritualidade.

Em uma pesquisa com centenários realizada em 2008 pelo WebMD, 84% disseram que estar com contato com a espiritualidade é “muito importante” para envelhecer com saúde. Seja por meio da religião ou da meditação, encontrar sua própria espiritualidade significa que você vai poder desfrutar mais os anos dourados.

86. Tenha um hobby – e o pratique

Salustiano “Shorty” Sanchez, que chegou aos 112 anos, gostava de “jardinagem, palavras cruzadas e de um jogo de cartas com os amigos”, segundo o Guinness, o livro dos recordes. Soubesse ele ou não, seus hobbies traziam muitos benefícios de saúde. Esse tipo de atividade simples pode reduzir o estresse e oferecer uma sensação de realização– e ambas podem contribuir para uma vida longa e feliz.

87. Converse consigo mesmo usando palavras positivas.

A iogue Tao Porchon-Lynch, 94, diz que se sente jovem repetindo afirmações positivas para si mesma. “Meu mantra é acordar de manhã e dizer: ‘Vai ser o melhor dia da minha vida’”, disse ela ao HuffPost em maio. “Assim, consigo encarar qualquer desafio. Meu mantra de vida é: ‘Não há nada que não se possa fazer’.”

88. More na cidade.

Resultados recentes da pesquisa Country Health Rankings mostram que os moradores das áreas urbanas tendem a viver mais e a ser mais saudáveis que os moradores das áreas rurais. Isso se explica pelo fato de que fora das cidades há mais consumo de cigarro, obesidade e problemas crônicos de saúde (tais como diabetes e hipertensão), relata o The Wall Street Journal.

89. … Mas morar no campo também pode ser bom (se você for britânico).

O Escritório Nacional de Estatísticas do Reino Unido relatou em 2010 que os moradores das áreas rurais do país vivem mais que os das cidades – dois anos a mais para os homens, e um ano e meio para as mulheres, segundo o The Guardian. Além disso, a expectativa de vida de ricos e pobres era parecida entre os moradores do interior.

90. Tire um cochilo no meio do dia.

cat sleeping

Sestas regulares — combinadas com a genética e uma dieta cheia de peixes e legumes e verduras frescos — podem ser a chave para uma vida mais longa, como mostram os longevos habitantes da ilha grega de Ikaria. Segundo a Agence France Presse, há dez vezes mais pessoas com 90 anos ou mais em Ikaria, em comparação com o resto da Europa.

91. Seja deslumbrante.

Pesquisa da Universidade de Waterloo mostrou uma associação entre atratividade e longevidade. Os participantes do estudo observaram 50 fotos de jovens de 17 anos dos anos 1920 e os avaliaram de acordo com atratividade e saúde percebidas. Os pesquisadores descobriram que aqueles que pontuaram mais em atratividade viveram mais tempo – até os 76 anos, em média — que os considerados menos atraentes (que viveram em média até os 69), relata o The Houston Chronicle.

92. Amamente seu bebê.

Mulheres que amamentam seus bebês podem reduzir as chances de morte por câncer, doenças cardíacas e outros problemas de saúde, de acordo com um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition. O Yahoo! Shine informa que o risco de morrer de doença cardíaca é 8% mais baixo e o risco de morrer de câncer ou outras doenças é em conjunto 17% mais baixo para as mulheres que amamentam por pelo menos seis meses. “Um período de amamentação mais longo significa menos ciclos menstruais e reduz a exposição a fatores hormonais, especialmente estrogênio, que têm influência sobre o risco de câncer de mama”, diz Susan Higginbotham, diretora de pesquisa do Instituto Americano para Pesquisa do Câncer, ao Yahoo! Shine. “As mudanças físicas no tecido das mamas que acompanham a produção do leite também oferecem alguma proteção.”

93. Seja determinado.

Dianne Feinstein, a mais velha entre todos os senadores americanos, acredita que a idade não é nada mais que um número. A chave para uma vida longa e frutífera, diz Feinstein, é manter-se afiada, saudável e — acima de tudo — motivada:

“Você pode ser muito velha aos 50 e muito jovem aos 90. Realmente acredito nisso. Depende do seu cérebro, depende de sua saúde, depende da sua determinação e da sua motivação”, disse Feinstein ao San Francisco Chronicle.

94. Mantenha-se ativo.

Ouça o que diz a comediante Betty White, que, aos 91 anos, ainda está “bem, e cheia de energia”. Ela disse à revista People no ano passado que deve sua saúde ao fato de ser “ativa o tempo todo. Acho que isso te obriga a ficar bem. Ter 90 anos … e ainda estar trabalhando — isso eu não esperava. Sou muito sortuda.”

95. Mergulhe de cabeça.

dive in

A natação pode ser o melhor dos esportes quando se trata de longevidade. Um estudo publicado no International Journal of Aquatic Education and Research indicou que, em comparação com corrida, caminhada ou sedentarismo, a natação reduz pela metade o risco de morte entre os homens.

96. Mexa-se.

Sua capacidade de se locomover é um bom indicador do envelhecimento saudável, de acordo com uma revisão de estudos no Journal of the American Medical Association. “Confirmamos que o aumento da atividade física e os exercícios físicos são extremamente importantes para o envelhecimento saudável” , disse a pesquisadora Cynthia J. Brown, da Universidade do Alabama, em Birmingham. “Também identificamos fatores de risco para a limitação da mobilidade e criamos uma abordagem para ajudar os médicos a identificar e tratar esses fatores de risco.”

97. Use seu cérebro.

Outro segredo dos habitantes de Okinawa é manter seus cérebros ativamente envolvidos com jogos e estímulos intelectuais. Uma pesquisa do WebMD realizada em 2008 descobriu que 89% dos centenários mantêm suas mentes ativas.

98. Termine a faculdade e, em seguida, considere um mestrado.

A educação enriquece a vida — e pode te ajudar a viver mais, de acordo com uma análise dos Centros para Controle de Doenças e Prevenção. Um diploma universitário ou superior foi associado a nove anos adicionais de vida, em comparação com quem apenas concluiu o ensino médio.

“As pessoas altamente educadas tendem a ter comportamentos mais saudáveis, evitar os não-saudáveis e têm mais acesso à assistência médica quando precisam”, disse a autora da análise, Amy Bernstein, ao USA Today.

99. More num Estado democrata

Os 13 Estados americanos com menor expectativa de vida são tradicionalmente Estados em que o Partido Republicano tem vantagem nas eleições presidenciais, de acordo com uma análise de dados do governo americano.

Fonte:  |  De Equipe Healthy Living 

Comentários

comentário(s)

Sobre o Autor

Total Idade

A Total Idade possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos, compartilhados e disponibilizados para todos os interessados em adquirir conhecimento sobre a maturidade. A Total Idade leva ao leitor informações de alto nível, recebidas, compartilhadas e publicadas por colaboradores externos e internos.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Maneiras maravilhosas de viver até os cem anos - Parte 2 - […] … continua […]

Deixe a resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.