Select Page

A nova melhor idade hiperconectada

A nova melhor idade hiperconectada

Cada vez mais conectados e adaptados às novas tecnologias, a população 60+ dá um recado claro para marcas, produtos e serviços que ainda não aprenderam a se relacionar com o sênior.

Me entenda, me atenda e ganharás minha preferência!

Este não é um pedido deles, é um recado. Afinal pelas suas carteiras e contas correntes circularam em 2015 mais de R$ 634 bilhões. Chegou a vez da Terceira Idade no mercado de consumo pouco impactado pelo risco da perda de emprego e pela insegurança na economia. Os 60+ se revelam um nicho de mercado a ser melhor explorado pelo varejo e serviços.

A pesquisa nacional Os 60+ e a Internet realizada pela SeniorLab Inteligência em Mercado Sênior e a Segmento Pesquisas revelou um novo perfil dos integrantes da chamada Nova Terceira Idade. Atualizado, consumidor de tecnologia, experimentado no e-commerce ou a um passo de realizar sua primeira compra, tiveram suas inseguranças para realizar a primeira compra mapeadas e identificadas. Estes ajustes aumentarão substancialmente a experiência e participação dos 60+ no e-commerce.

64% da população sênior na internet já possui smartphone, índice muito próximo da média nacional. A necessidade de ter contato com os amigos e principalmente a com a família é plenamente atendida pelo WhatsApp, instalado 89% dos smartphones.

O dado mais curioso é a frequência em que acessam a internet onde 83% dos seniores com perfil no Facebook acessam a rede todo o dia. É um novo cenário para a comunicação com este público. Os canais digitais aos 60+ precisam começar a fazer parte dos planos de marcas, produtos e serviços, utilizando linguagem, design e modelo intuitivo correto.

Martin Henkel Co-fundador da SeniorLab – www.seniorlab.com.br

Comentários

comentário(s)

Sobre o Autor

Balochini

Olá, sou Antonio Balochini, mais conhecido como Dudu, Coach, Programador, especializado em software livre, linux, aplicativos móveis. Enfim um Sénior Geek ! Quando completei 50 anos descobri que não tinha muita gente falando desse universo dos ‘cinquentões’, sobre as dúvidas que se instalam em nossas mentes quando estamos frente a mudanças profissionais. Acredito que quando uma pessoa de 50 anos ou mais entende o funcionamento das redes sociais, e a tecnologia como aliada de seus projetos, ela sente que pode produzir conteúdo de qualidade neste mundo de mudanças tão rápidas. Como entusiasta de novas tecnologias, busco formas que possam ajudar a melhorar a vida das pessoas e pequenos empreendedores. Para conhecer as necessidades da cidade, me tornei um ciclista urbano. Sou o fundador do Total Idade que tem uma linguagem direta com os ‘jovens’ de corpo e espírito com mais de 50 anos.

Deixe a resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.