Select Page

Tecnologia da Internet leva “Lisboa volta a ser a capital do Mundo”

Tecnologia da Internet leva “Lisboa volta a ser a capital do Mundo”

Abertura da Web Summit 2018, o maior evento em tecnologia e empreendedorismo da EuropaNa inauguração da edição de 2018 da Web Summitno palco do Altice Arena, no Parque das Nações, em Lisboa, ontem foi aberta a conferência de tecnologia da internet e empreendedorismo mais aguardada por cidadãos de todo o planeta, interessados em acompanhar o panorama atual e as tendências mais relevantes nessas áreas.

Realizada anualmente, desde 2009 a Web Summit criada por Paddy Cosgrave, David Kelly e Daire Hickey promove aprofundado debate sobre as questões de interesse mundial, em inúmeros aspectos como atecnologia, política, sustentabilidade, música, moda, esportes, turismo, saúde ou xadrez.

Durante os dias 5 a 8 de novembro de 2018, o espaço destinado a grandes exposições em Lisboa, no bairro do Parque das Nações, será lotado para receber as 70 mil pessoas de todas as idades, naquela que é a maior conferência de empreendedorismo e tecnologia da Europa. 

Da sustentabilidade às fake news, são vários os temas em destaque na terceira edição portuguesa da Web Summit.

Mil oradores, mil investidores, 2500 jornalistas internacionais são esperados nos próximos dias, neste globalmente relevante e notório evento – a Web Summit, com retornos esperados a Lisboa e Portugal  na casa de 300 milhões de euros.

Paddy Cosgrave abriu oficialmente a Web Summit, o fundador do evento, e alertou para as mudanças tecnológicas que ocorreram no último ano, e destinou elogios a Portugal e à cidade de Lisboa, onde a feira se prolongará por mais dez anos.

“Em 2019, pela primeira vez, mais de metade do mundo vai estar conectado e é preciso olhar com mais atenção para a Internet”

De forma retumbante, Sir Tim Berners-Lee, o inventor da Internet, introduziu sua palestra de abertura, onde demonstrou o futuro do mundo cada vez mais conectado.

 “Pela Web (For the Web)” é o slogan para o projeto que criou para que seja estabelecida uma convenção internacional com princípios e valores que tornem a “Internet mais segura” e para que a “mantenham livre”, assegurando-se assim, a liberdade de expressão e proteção de direitos, regrado o anonimato.

Quando Sir Tim Berners-Lee optou por deixar que qualquer pessoa usasse a Internet que criara no CERN, o famoso centro de física de partículas na Suíça, quis dispor ao mundo uma das invenções mais marcantes das últimas décadas.

“O que poderia correr mal?”, questiona Tim Berners-Lee. “Olhando para trás, muitas coisas correram mal”, responde, referenciando-se às fake news e à possibilidade de manipulação de pessoas. “Portanto há muitos problemas com a Web”.

“Não é só sobre reforçar leis, é sobre mudar mentalidades”, afirma Tim Berners-Lee em entrevista feita no palco pela jornalista da CNN Laurie Segall. 

Não foi a Web que criou o populismo, a polarização da sociedade, há razões enraizadas que nada têm a ver com a Web

Contundente e energético, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, reconhece os benefícios que o desenvolvimento da tecnologia trouxe à sociedade e deixou claro que não foi a internet “que criou o populismo e a polarização do mundo”

Em suas palavras de introdução a Web Summit, demonstrou também preocupações sobre o impacto social que “a quarta revolução industrial vai ter”. “Não estamos preparados para isso”, afirmou.

Aplaudido vigorosamente, registrou que quer ver banidas as máquinas que têm poder para matar pessoas. 

“Máquinas que têm o poder e a capacidade de escolher para matar pessoas são politicamente inaceitáveis, moralmente repugnantes e devem ser banidas pelas leis internacionais”.

“Boa noite. Good eveninghello everybody”, foram as palavras de abertura do primeiro-ministro português

António Costa, saudando a todos, afirmou em sua palavra de abertura do evento mais importante da nação : “Portugal gosta de ser um país aberto que recebe pessoas de todo o mundo”, afirma. “Portugal é um país aberto e acredita na inovação como uma arma de progresso.”

“Estamos muito das nossas cidades. Sem discriminações, toda a gente é bem-vinda a Lisboa”

Assim diz o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, fazendo da “abertura e da tolerância” as bandeiras de Portugal

Homenageou Paddy Cosgrave com a entrega de uma imagem de Fernão de Magalhães, o primeiro navegador português a circular o mundo, e as palavras “Lisboa torna-se a capital do mundo por vossa causa”.

E assim foi lançada, oficialmente a Web Summit 2018 Lisbon.

Comentários

comentário(s)

Sobre o Autor

Silvia Triboni

Administradora e advogada, com atuação no Judiciário Federal em São Paulo e Mato Grosso do Sul. Divorciada, mãe de dois filhos. Depois de completar 40 anos, resgatou o sonho de infância de explorar o mundo. O efeito positivo das viagens sobre sua vida emocional a inspiraram a criar o projeto Across Seven Seas, que se propõe a mostrar ao público 50+ os benefícios que as viagens proporcionam ao desenvolvimento da qualidade de vida.

Deixe a resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.