Select Page

Transgênero: conceitos, preconceitos, verdades ‘seguras’, convenções…

Transgênero: conceitos, preconceitos, verdades ‘seguras’, convenções…

A personagem Ivana, da novela global ‘Força do Querer’, revelou recentemente para sua ‘tradicional’ e ‘bem-estruturada’ família, em um dos capítulos da trama, que não é do gênero feminino, mas sim masculino, ou seja, é um transgênero masculino. Para ela, não há mais dúvidas sobre a sua real identidade/identificação/gênero, a questão agora estava muito além: “Preciso saber se vocês vão me aceitar?”. Cacetada! Minha cabeça deu um looping!

Viajei – confesso – e me questionei sobre quantos de nós também não escondem a ‘verdadeira identidade’ em nome de uma mais ‘aceitável’ socialmente. Quem não é no fundo uma Ivana? É claro que a questão do folhetim é trazer à tona, para debate, os casos transgêneros sob todos os pontos de vista: social, emocional, científico, psicológico, rompendo todas as barreiras do que se conceitua como ‘normalidade’ e ‘padrão’, uma vez que Ivana, que está em processo de se tornar um homem, é apaixonada por um rapaz – isso mesmo, gênero é diferente de orientação sexual – e, para coroar a quebra completa de paradigmas, vai se descobrir grávida de seu ex-namorado nos próximos capítulos.

Cara, partiu para ao anarquismo total! Anarquistas, Graças à Deus! Isto que é um ‘sacode na geral’, com tudo o que se tem direito! O que garante a audiência desse núcleo da novela é, sem dúvida, a questão da aceitação familiar e social, ou seja, aproxima todos nós desse dilema: assumirmos verdadeiramente quem somos e garantirmos que todo o nosso potencial como contribuição para o mundo seja realizado. Sobretudo, pelo fato da autora da novela, Glória Perez, tocar em uma ferida que aproxima a todos nós: a angústia de Ivana é, acima de tudo, uma angústia existencial.

Me encanta esses ares do realmente novo, da transgressão, daquilo que foge das nossas ‘pobres caixinhas’ de conceitos, preconceitos, verdades ‘seguras’, convenções… A questão aqui não é destruir o que se conhece, mas enriquecê-lo, ampliá-lo, aceitar que a liberdade implica em acolher e lidar com o ‘realmente diferente’. A essência do que somos genuinamente vive apertada em nossas molduras sociais, tentando desesperadamente emergir e se realizar. Somos todos Ivanas… A maioria nem sequer tem consciência de suas ‘prisões’, o que dirá ter a coragem e ousadia de lutar para buscar suas realizações, seus propósitos, seus sonhos.

Eu também sou Ivana!

Comentários

comentário(s)

Sobre o Autor

Ana Carolina Martins

Ana Carolina Martins é mulher, uma ‘quase cinquentona’, jornalista, escritora, revisora de textos, mãe de Davi, interessada em temas sobre comportamento humano e autora do blog No Divã com Carol (http://nodivacomcarol.wordpress.com). E recebi uma noticia maravilhosa que é ser a Jornalista responsável por matérias que estimulam pessoas como eu a acreditar que vale a pena investir em uma nova carreira. Eu estou aceitando um novo e grande desafio que embarcar aqui no portal Total idadee e na escola de formação em Coaching a Pró Coaching Brasil

Deixe a resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.